Monday, July 17, 2017

Não Fique com Ele

Quem está só frequentemente quer um par, duradouro ou passageiro.  Fazer coisas a dois, dar e receber carinho.  Ter um par é muito bom.
Quando o par é bom.
E quando é bom?
Saio do subjetivo (quando é bom) para o objetivo (e urgente):
Quando NÃO é bom.
Não é bom quando ele não é bom.
Não tens a mais remota obrigação de ter mais trabalho, mais responsabilidades, mais preocupações, mais aborrecimentos do que tens estando só.
Não fique com ele se:
1.  Ele fala contra o Feminismo e as feministas, chama as feministas de "feminazis" e diz que os direitos não podem ser iguais porque homens e mulheres não são iguais.
Quase certeza que esse cara é misógino ou machista.  Se tu curtes ser comandada e tratada abaixo do nível de uma cadela vira-latas, vá em frente.
Porém, uma distinção:  se o cara critica certas correntes e pessoas do Feminismo.  Ai ele inclusive pode estar certo e estar a favor das mulheres, e contra distorções de militantes.  No Brasil, há umas donas que se dizem feministas mas defendem coisas estupidas, como o "direito" de usar burca, dizem que o capitalismo é machista, por exemplo.
2.  Ele fala e ri alto, chega na tua casa e se esparrama no sofá, não faz nada e exige comida, bebida, limpeza e beleza.
Ele não tem educação, bom senso ou respeito por ti.  Certamente crê que nasceu para ser servido, de preferência por uma criatura de cabelos longos, bonita, submissa e do lar.
3.  Ele bebe e come demais, ou usa drogas.
4.  Ele tem um gosto musical insuportável para ti.
5.  Ele tem preferências das quais não compartilhas nem achas interessantes.
6.  Ele já foi acusado de agredir uma ou mais mulheres.
Devia estar na cadeia, não contigo.
7.  Ele decide, impõe, não negocia e não ouve ninguém.
Certamente é assim com os subordinado no trabalho.  Porque esse homem só pode ser o dono do negócio ou "otoridade" máxima onde trabalha.  Como poderia ter chefe, sendo tão mandão?
Queres passar uma lua de m(f)el com ele?
8.  Ele diz que a mulher tem "instinto" materno.
Cuidado:  ele espera abnegação  e sacrifício da infeliz com quem ele tiver um filho.  Que ela faça tudo e ele, nada.
 9.  Ele acha "normal" a mulher não trabalhar e depender do $$$ do marido.
10.  Ele acha que aleitamento é um "dever" e não um direito da mulher.
11.  Ele não suporta teus sonhos, teu dinheiro e tua ambição.
12.  Ele acha que os trabalhos domésticos são "dever" da mulher ou que elas são "naturalmente" mais aptas a executa-los.
13.  Ele acha que o dever de cuidar dos filhos e da casa é da mulher, e o homem só "ajuda" (quando ajuda).
14.  Ele distingue as mulheres entre "senhoras" e "senhoritas" e não aceita o fim dessa distinção.
15.  Ele conta piadas machistas, ri delas é/ou não aceita que são agressões.


Família Abi-Ackel

Parecer do Deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), substitutivo ao do Deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) foi o responsável pela rejeição da denúncia contra Michel Temer na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados.
É filho de Ibrahim Abi-Ackel, ex-Ministro da Justiça do último Presidente da mais recente ditadura brasileira (1964-1984).  Ibrahim Abi-Ackel era a favor de tratar violência sexual como "crime contra os costumes" (redação de 1940 do Código Penal brasileiro), e não contra a pessoa (a pessoa da mulher era irrelevante, para ele.  Importante era a "honra" do macho pai, irmão ou marido.
Família injustiça.

Thursday, May 25, 2017

Quanto custa?

Quanto tem custado ao Erário brasileiro a propaganda do governo Temer, em horário nobre da televisão, para convencer o povo a apoiar a Reforma da Previdência?

A campanha de propaganda da Reforma da Previdência, neste ano de 2017, já consumiu R$ 82.544.504,00 (oitenta e dois milhões, quinhentos e quarenta e quatro mil e quinhentos e quatro reais), somada a propaganda de TV com a feita nos jornais, revistas, internet e mídia exterior.  Esse é o dinheiro já empenhado.

R$ 49.287.000,00 (quarenta e nove milhões e duzentos e oitenta e sete milhões de reais) é o valor planejado para ser gasto neste ano de 2017 com a propaganda da Reforma da Previdência na TV.

O Orçamento de 2017 contém previsão e reservou, só para propaganda, o total de R$ 187.500.000,00 (cento e oitenta e sete milhões e quinhentos mil reais).  Só para a Presidência da República!

Já foram gastos R$ 165.622.000,00 (cento e sessenta e cinco milhões, seiscentos e vinte e dois mil reais) desses 187,5 milhões.  E ainda não atingimos a metade do ano!  

Ainda não atingimos a metade do ano, e o Governo Temer já gastou quase toda a dotação com propaganda do ano de 2017, sobrando apenas R$ 12 milhões.

Créditos suplementares serão abertos.  Com certeza.


Dinheiro  para fazer essa propaganda tem.

Wednesday, May 17, 2017

The Husband of Brazil

Brazilian President of the Republic Michel Temer sai, in 28th of April, during an interview in a TV program, that governments need a "husband" to control their expenses, as husbands control their wives' expenses...  The guy is 60 years late, most of the Brazilian women work, and since 1988 husbands may NOT give orders to their wives, because the Constitution finally granted equal rights, regardless of sex.
So Mr. Temer wants to be "The Husband of Brazil".
President Michel Temer expressed his ideas for the country he wants:  misogynist.
He spoke of the family he knows:  his family.
Also, he spoke about the type of woman he expects all Brazilians to be:  beautiful, stupid and purchasable.

O Marido do Brasil

O Presidente da República brasileiro disse, em 28.04, no "Programa do Ratinho", que os governo precisam de "marido" para controlar suas despesas, como os maridos controlam às despesas das donas-de-casa...  O cara está 60 anos atrasado, maioria das brasileiras trabalha, e desde 1988 maridos não podem mandar em esposas, por força da Constituição.  
Ele quer ser o "Marido do Brasil".
O Presidente Michel Temer expressou o país que ele quer:  misógino.  Ele falou da família que ele conhece:  a dele.  Do tipo de mulher que ele quer que todas as brasileiras sejam:  belas, idiotas e venais.


Friday, April 07, 2017

False Feminists

Beatrice says she's a feminist, but asks to be called "miss".
Gisele argues that breastfeeding is mother's obligation instead of women's choice.
Amy posts she believes that all women are capable of vaginal delivery and firmly opposes elective C- Sections.  
Patricia advocates that maternity leave should be up to 1 year, thus reinforcing stereotyped gender-based roles and giving a damn for public deficit.  It has never crossed her mind how such measure might affect women's employment and salaries.
Jeanne attends courses on the condition of women, but scolds ladies who speak in a straightforward or assertive manner.  She can't tolerate women who dare not to be "good girls".
Iara takes part on feminist demonstrations, although she has said that women are more capable of sacrifice than men.
She even says  it's "natural" that mothers have more duties than fathers.
Marília claims to be feminist, but condemns professional and financial ambition on women.  She says women should not become "opressors".  She also says it's women's duty is to stand for the "oppressed", the "weak" and fight against "social injustice".
Emma is witty, but thinks  it's ok trap a man by getting pregnant.


Wednesday, April 05, 2017

Reforma política inimiga do povo

A "reforma" política proposta pelo Congresso brasileiro acaba com a democracia no país.
É um golpe de Estado do Legislativo. E do pior Legislativo da História nacional.
Primeiro, o voto será na "lista fechada " dos partidos.
O eleitor não poderá escolher o seu Deputado, o seu Senador, o seu Deputado Estadual, o seu Vereador.
Terá que engolir o que os partidos impingirem.  Sem a sua participação na escolha.
Isso é o FIM da democracia representativa. O povo não escolherá mais seus representantes.
Mais:  acaba com a reeleição, mas estende o mandato dos chefes de Poder Executivo para 5 anos.
Ou seja, teremos que aguentar mais 1 ano de Miche Temer.



Saturday, March 18, 2017

Why does Brazilian press support Social Security reformation?


Propaganda's photo, published in "Época" magazine, released on 20th February, 2017.
I did not understand why Brazilian press stands for the Social Security Reformation, a constitutional amendment drafted by Mr. Temer's government.
Brazilian Social Security  accounts do not interfere with companies' profits.
 Not at all!
So which is the reason why Brazilian great press supports the Reformation as proposed?
Because Brazilian press is ENORMOUSLY PROFITING from such proposal!
Why?
Because the Federal Government IS SPENDING HUGELY in the reformation's propaganda!
Can I prove what I state?  
Yes, I can!
The Goverment is publishing 2, TWO-PAGES announcements in the most read weekly magazines. 
 It is broadcasting pro-Reformation TV propaganda at the highest-rated channel prime-time.  Probably at other channels too.
Even before the campaign mentioned above had begun, the press already knew that the Government would not save money  with propaganda and that she, the press, would make a lot of profit from it.
To prove what I say:  picture of the two-pages propaganda, published in "Época" weekly magazine, released on 20th february 2017.
 Do not let yourselves be misled.

Por que a imprensa defende a Reforma da Previdência?

Propaganda de duas páginas publicada na Revista "Época" de 20/02/2017
Eu não entendia porque a imprensa defende a Reforma da Previdência proposta pelo governo Temer.  As contas da Previdência  não interferem com os lucros das empresas de imprensa.
Não mesmo.
Então, qual é a razão da grande imprensa defender a Reforma?
A imprensa ESTÁ LUCRANDO HORRORES com essa proposta!
Por quê?
Porque o Governo ESTÁ GASTANDO HORRORES com propaganda dessa reforma!
A prova?
O Governo está publicando anúncios de 2, DUAS páginas nos hebdomadários mais lidos.
Está veiculando propaganda televisiva a favor da Reforma, em horário nobre, na líder de audiência da TV aberta. Provavelmente, nos outros canais também.
Antes mesmo de iniciada essa gigantesca propaganda, a imprensa sabia que o Governo não iria poupar dinheiro para fazer essa campanha e que ela, imprensa, iria lucrar muito com isso.
Uma prova do que eu digo:  fotos da propaganda de duas paginas, que saiu na revista "Época" que foi às bancas em 20 de fevereiro de 2017.

Não se iludam.



Sunday, March 05, 2017

Triste Berçário

Juiz de execuções penais no AM constatou, quando da grande rebelião em janeiro: superlotacao  carcerária é o maior problema nas prisões.  Por que o número de vagas nunca chega no Juiz de execuções penais no AM constata:  superlotação carcerária é o maior problema nas prisões.  Por que o número de vagas nunca chega no Brasil? Porque este país é um berçário de marginais. As favelas sobretudo. 4,5 filhos por mulher. E defender controle da natalidade dos pobres é heresia. Pois EU DEFENDO.? Porque este país é um berçário de marginais. As favelas sobretudo. 4,5 filhos por mulher. E defender controle da natalidade dos pobres é heresia. Pois EU DEFENDO.

Pode-se promovê-lo  respeitando a decisão livre da pessoa, desde que capaz. O Estado e a sociedade devem facilitar e incentivar os pobres a terem poucos filhos. Ao contrário do que acontece hoje, eles estão abandonados ao estado de natureza, a lei do planejamento familiar impõe obstáculos, o governo dificulta ao máximo, a direita religiosa e a esquerda vociferam contra isso.

Incentivar e facilitar a diminuição do número de filhos de pobres é promover vida digna e planejada para as mulheres e as crianças O laisser faire, situação atual, só tem promovido o aumento da pobreza e da marginalidade.  Como um casal favelado cria filhos? Mal!  Sem saneamento básico, exposto ao crime que manda na "comunidade", por mais éticos e trabalhadores que sejam os pais. Mas e se for uma mulher sozinha com duas crianças, com baixa qualificação, sem emprego certo?  Ah, ela precisa de creche!  Tá. A creche, se houver, tem horários.  O trabalho que ela tiver, se e quando tiver, não vai tirá-la daquele lugar medonho, ainda mais tendo crianças.  Nenhum orçamento público jamais fará frente às necessidades de uma população necessitada cada vez maior.  Saude, educação e segurança públicas custam muito dinheiro.

A pobreza segrega. O aumento da pobreza segrega mais ainda.  Miserável, favelado e marginal tem que ser incentivados a não tê-los e não ter mais do que já têm.  Incentivar não é coagir nem forçar.  Como eu disse, defender esse ponto de vista, no Brasil, é opor-se a um posicionamento político tido como inquestionável.

Por fim, pense numa criança.  Num recém-nascido de 10 dias.  Ele é tão pequenino e belo.  Tão delicado.  Esse ser enternece seu coração?  Agora pense que esse ser tão pequenino só tem as fraldas com que saiu do hospital, e um trapo que já limpou o chão ele vai usar.  À noite, seu sono infantil será arrebentado por tiros de fuzil.  O barraco não tem saneamento básico, o que o expõe a infecção intestinal precoce.  Ele crescerá vendo sua mãe apanhar do seu pai, ou de outro que o substitua. Ele também vai apanhar bastante e não se alimentará todos os dias.

Pense nisso.