Saturday, November 19, 2016

Cala a boca, Ruth!

Ruth Aquino, cala a tua boca.
E pare de teclar besteiras.
Tu defendes a "Escola Sem Partido", e não entendes nada de Direito.
Liberdade de expressão, direito de todos. Art. 5., inciso IV da Constituição.
Calar os professores, Ruth e companhia, crime seria:  de constrangimento ilegal.  Previsto no Código Penal.
Ruth, és já idosa, mas exiges em tua coluna de revista retrato de tua juventude.
Que a todos ilude.
Acaso tens vergonha de tuas marcas de idade?
Vaidade.


Thursday, November 10, 2016

Uniformes Unissex Causam Loucura no Rio

Pergunto a você, que tem mais de 40 anos:
Você, nunca antes na História deste país, viu uniformes unissex?
Meninos, eu vi.
Eu usei!
Em duas escolas que frequentei, em meados dos anos 80 do século passado, havia uniforme.  Era o mesmo para meninas e meninos:  calça jeans e a camiseta da escola.  No inverno, era preciso se agasalhar de forma a não esconder a camiseta da escola.
Nos postos de gasolina, o uniforme de frentista é unissex:  macacão do posto, não importando o sexo ntra “ideologia de gênero” termdo trabalhador.  Tem sido assim desde os anos 80 do século passado, pelo menos (isto é, desde quando me lembro).
Policiais e guardas civis usam o mesmo uniforme no dia-a-dia:  calças, camisas e calçados pesados.  Quando muito, muda o formato do quepe.
Esqueçamo-nos dos uniformes e passemos às roupas do dia-a-dia.
Você, nunca antes na História deste país, usou roupas unissex?
Nunca usou camiseta, jeans e tênis?  Ou chinelos de dedo?
Camiseta, bermuda e tênis?  Ou chinelos de dedo?
Nunca usou camisa, calça de alfaiataria e sapatos baixos?
Há anos e anos usamos roupas unissex.
Por isso, é ABSOLUTAMENTE INCOMPREENSÍVEL a reação exaltada à decisão do Colégio Pedro II, do Rio de Janeiro, de abolir a distinção de uniformes para meninos e meninas.
Aliás, a permanência dessa distinção é que era anacrônica, retrógrada.
Qualquer escola adota ou possibilita uniformes unissex.
Os pais que reagiram irados contra essa decisão não merecem nenhuma compreensão.  Nenhum respeito.  Não vivem no mundo contemporâneo, mas sim n'algum rincão de cem anos atrás!
Todas as meninas da minha geração, desde tenra idade, usam roupas unissex.
Todos os meninos também.
"Ah, mas saia não é unissex...  o Colégio liberou a saia para os meninos".
Não é unissex nesta cloaca tropical. Na Escócia é.
Qual é o mal que a saia pode causar a um menino, se ele quiser usá-la?  A um homem?  Diga a um escocês que saia não é coisa de homem, e espere pela resposta. 
Ah, esses pais não aceitam é a abolição de uma IMPOSIÇÃO.  De uma imposição de masculinidade e de feminilidade.  De um conjunto de imposições que limitem a definição do que é ser homem e o que é ser mulher.
Por quê?
Porque esses paizinhos zelosos MORREM DE MEDO de que seus preciosos "filhos homens" virem "bichas".  "Veados".  "Mulherezinhas".
E morrem de medo de que suas "menininhas" fiquem "valentes" e "não se comportem mais como mocinhas" (dóceis, submissas, que apanham e não reagem, limitando-se a chorar, de preferência baixinho).
Essa corja de idiotas com filhos (coitados desses jovens!) foi à praia de Copacabana protestar contra a decisão do Colégio, contra o que consideram "ideologia de gênero" e por uma "escola sem partido" - vejam esta matéria:  Manifestação contra “ideologia de gênero” termina em agressão a estudante no Rio
Haha, agora uniforme unissex é produto do que chamam de "ideologia de gênero", e criação de algum "partido". 
Oi?
Qual o partido no poder em 1984?  Eu acho que o presidente ainda era o General Figueiredo...