Saturday, March 18, 2017

Why does Brazilian press support Social Security reformation?


Propaganda's photo, published in "Época" magazine, released on 20th February, 2017.
I did not understand why Brazilian press stands for the Social Security Reformation, a constitutional amendment drafted by Mr. Temer's government.
Brazilian Social Security  accounts do not interfere with companies' profits.
 Not at all!
So which is the reason why Brazilian great press supports the Reformation as proposed?
Because Brazilian press is ENORMOUSLY PROFITING from such proposal!
Why?
Because the Federal Government IS SPENDING HUGELY in the reformation's propaganda!
Can I prove what I state?  
Yes, I can!
The Goverment is publishing 2, TWO-PAGES announcements in the most read weekly magazines. 
 It is broadcasting pro-Reformation TV propaganda at the highest-rated channel prime-time.  Probably at other channels too.
Even before the campaign mentioned above had begun, the press already knew that the Government would not save money  with propaganda and that she, the press, would make a lot of profit from it.
To prove what I say:  picture of the two-pages propaganda, published in "Época" weekly magazine, released on 20th february 2017.
 Do not let yourselves be misled.

Por que a imprensa defende a Reforma da Previdência?

Propaganda de duas páginas publicada na Revista "Época" de 20/02/2017
Eu não entendia porque a imprensa defende a Reforma da Previdência proposta pelo governo Temer.  As contas da Previdência  não interferem com os lucros das empresas de imprensa.
Não mesmo.
Então, qual é a razão da grande imprensa defender a Reforma?
A imprensa ESTÁ LUCRANDO HORRORES com essa proposta!
Por quê?
Porque o Governo ESTÁ GASTANDO HORRORES com propaganda dessa reforma!
A prova?
O Governo está publicando anúncios de 2, DUAS páginas nos hebdomadários mais lidos.
Está veiculando propaganda televisiva a favor da Reforma, em horário nobre, na líder de audiência da TV aberta. Provavelmente, nos outros canais também.
Antes mesmo de iniciada essa gigantesca propaganda, a imprensa sabia que o Governo não iria poupar dinheiro para fazer essa campanha e que ela, imprensa, iria lucrar muito com isso.
Uma prova do que eu digo:  fotos da propaganda de duas paginas, que saiu na revista "Época" que foi às bancas em 20 de fevereiro de 2017.

Não se iludam.



Sunday, March 05, 2017

Triste Berçário

Juiz de execuções penais no AM constatou, quando da grande rebelião em janeiro: superlotacao  carcerária é o maior problema nas prisões.  Por que o número de vagas nunca chega no Juiz de execuções penais no AM constata:  superlotação carcerária é o maior problema nas prisões.  Por que o número de vagas nunca chega no Brasil? Porque este país é um berçário de marginais. As favelas sobretudo. 4,5 filhos por mulher. E defender controle da natalidade dos pobres é heresia. Pois EU DEFENDO.? Porque este país é um berçário de marginais. As favelas sobretudo. 4,5 filhos por mulher. E defender controle da natalidade dos pobres é heresia. Pois EU DEFENDO.

Pode-se promovê-lo  respeitando a decisão livre da pessoa, desde que capaz. O Estado e a sociedade devem facilitar e incentivar os pobres a terem poucos filhos. Ao contrário do que acontece hoje, eles estão abandonados ao estado de natureza, a lei do planejamento familiar impõe obstáculos, o governo dificulta ao máximo, a direita religiosa e a esquerda vociferam contra isso.

Incentivar e facilitar a diminuição do número de filhos de pobres é promover vida digna e planejada para as mulheres e as crianças O laisser faire, situação atual, só tem promovido o aumento da pobreza e da marginalidade.  Como um casal favelado cria filhos? Mal!  Sem saneamento básico, exposto ao crime que manda na "comunidade", por mais éticos e trabalhadores que sejam os pais. Mas e se for uma mulher sozinha com duas crianças, com baixa qualificação, sem emprego certo?  Ah, ela precisa de creche!  Tá. A creche, se houver, tem horários.  O trabalho que ela tiver, se e quando tiver, não vai tirá-la daquele lugar medonho, ainda mais tendo crianças.  Nenhum orçamento público jamais fará frente às necessidades de uma população necessitada cada vez maior.  Saude, educação e segurança públicas custam muito dinheiro.

A pobreza segrega. O aumento da pobreza segrega mais ainda.  Miserável, favelado e marginal tem que ser incentivados a não tê-los e não ter mais do que já têm.  Incentivar não é coagir nem forçar.  Como eu disse, defender esse ponto de vista, no Brasil, é opor-se a um posicionamento político tido como inquestionável.

Por fim, pense numa criança.  Num recém-nascido de 10 dias.  Ele é tão pequenino e belo.  Tão delicado.  Esse ser enternece seu coração?  Agora pense que esse ser tão pequenino só tem as fraldas com que saiu do hospital, e um trapo que já limpou o chão ele vai usar.  À noite, seu sono infantil será arrebentado por tiros de fuzil.  O barraco não tem saneamento básico, o que o expõe a infecção intestinal precoce.  Ele crescerá vendo sua mãe apanhar do seu pai, ou de outro que o substitua. Ele também vai apanhar bastante e não se alimentará todos os dias.

Pense nisso.