Friday, March 04, 2011

Turismo: indústria preconceituosa

Já repararam que, ao menos no Brasil, a indústria do turismo trata com preconceito pessoas que viajam sós, especialmente mulheres? Abrimos uma revista de viagens, e todas as matérias, ao mencionarem diárias em hotéis, dizem, por exemplo, "R$ 150,00 o casal". Impressão que fica: esses hotéis só aceitam, ou então preferem, casais. Você telefona para a central de reservas, mesma história. E, se você se apresenta como alguém que viaja só, logo vão dizendo, "há um acréscimo de 40% (quarenta por cento)". A desculpa: não há quartos "single", há quartos para casal que o hotel disponibiliza para o viajante só.
Imundície e ignorância de uma classe empresarial atrasada e tosca.
Na Inglaterra, há muitos hotéis, por sua vez, que oferecem quartos específicos para viajantes "singles", com valores próprios de diárias, aliás, mais baratas. Inclusive, hotéis DE LUXO. E eu vi: quartos LINDOS.
Fiquei positivamente surpresa. Inglaterra cheia de regras, da monarquia, da tradição...
Ano passado, em setembro, contatei uma operadora de viagens de São Paulo, pois queria ir a Fernando de Noronha no feriado de 15.11. A funcionária que me atendeu dissera-me que não tinha mais vaga (por conta dos voos) para o feriado de 12.10, nem para o de 02.11, mas tinha para o da República, com partida na sexta-feira, 12.11. Depois, veio me dizendo que não tinha mais vaga nos voos de 12.11, somente nos do dia 11.11... Estranhei a conduta dela, escrevi-lhe um e-mail dizendo que dia 11.11 eu não queria, não podia de modo algum, e que ela deveria ter feito a pré-reserva de imediato. Resumindo: disse-lhe que ela falhara e que ela tinha o dever de me garantir o que me oferecera de início.
Achei estranhíssimo ela ter me dito que não tinha vaga nos voos de 12.11, logo depois de ter me oferecido essa data. Logo vi que deveria ser alguma artimanha da operadora, a fim de aguardar algum casal viajante, para ganhar mais, sei lá. O resultado de minha reclamação (mandei mensagem com cópia para as chefias dela)? Consegui o que queria, voar em 12.11. Ah, não tinha mais vaga nos voos...
Esse foi um dos muitos episódios em que fui tratada de forma negligente ou discriminatória por não ter um parceiro comigo. O que passa pela cabeça dessa gente, não sei. Só sei que é ridículo e atrasado.
Um conhecido, que já trabalhou com turismo, confirmou para mim a existência dessa discriminação, que atinge homens e mulheres que viajam sós, porém, sobretudo as mulheres. Contou-me ele que trabalhava num hotel de praia em Alagoas, recebeu solicitação de reserva feita por um homem, tinha disponibilidade, ele efetuou. Daí, veio o chefe dele e mandou que ele cancelasse a reserva e comunicasse o aspirante a hóspede que ele se enganara, que não tinha mais vaga para o período pretendido... meu conhecido, na ocasião, obedeceu ao chefe, mas perguntou-lhe o motivo. A resposta: pode aparecer um casal interessado, aí, é melhor casal do que pessoa sozinha.
Pior, impossível.
Na Europa, viajar só é a coisa mais corriqueira do mundo, seja a negócios, seja a turismo. Essa palhaçada de preferir casal é inaceitável. Hotéis e agências de turismo que fazem isso deveriam ter cassada sua licença para operar.

No comments: