Monday, July 17, 2006

Neopuritanismo e Neoliberalismo numa Sociedade Repressora

Abaixo a repressão! É proibido proibir!
Nos anos 70, essas eram as palavras de ordem dos rebeldes que foram a cara da década, principalmente de sua primeira metade. Dos anos 80 para cá, porém, os ventos da Era Reagan trouxeram não somente o neoliberalismo na política econômica, pois vieram acompanhados de uma retomada conservadora nos costumes e nas idéias dos formadores de opinião.
A Queda do Muro não salvou o mundo do escuro, como se previa. Derrubado o autoritarismo de "esquerda" no Leste Europeu, a "direita" fortaleceu-se como a opção política vencedora. Sem o bloco socialista, o mundo perdeu seu equilíbrio geopolítico e ideológico. Apesar de suas conhecidas falhas, o socialismo era inspirado nas idéias revolucionárias de Marx, Engels e Lênin. Eles não questionaram apenas o capitalismo tal qual se apresentava até o séc. XIX e início do séc. XX; questionaram, também, a condição feminina. Engels escreveu
A Origem da Família, no qual afirmou que a primeira divisão de trabalho da história foi entre homens e mulheres. Lênin inseriu a igualdade de sexos no bolchevismo, contrariando a tradição russa de submissão feminina. O pensamento de Marx, Engels e Lênin inspirou o socialismo do Leste Europeu, que se tornaria extremamente autoritário e repressor. Porém, inspirou também os partidos de esquerda e de centro-esquerda do Ocidente, a resistência às ditaduras da América do Sul, o fortalecimento dos direitos sociais. François Mitterand veio de um partido que se chamava socialista. E fez um grande governo, nada soviético e nada maoísta.
Vencedora, a direita aproveitou o fim do bloco socialista para disseminar o neoliberalismo como a única opção correta em política econômica. Francis Fukuyama chegou a escrever um livro no qual proclamava o "Fim da História".
Porém, o autoritarismo de direita reergueu-se. Nos Estados Unidos, com Reagan e Bush pai, a direita religiosa ganhou força. A AIDS serviu de pretexto para uma explosão conservadora. Se, de um lado, ingressamos na "Era dos Direitos", assistimos à globalização que aparentemente aproximava as pessoas, não assistimos ao que esperávamos: à conquista de maior liberdade. Deu-se o contrário: a expansão de novas idéias repressoras como se fossem a última palavra, a grande verdade.
O Neoliberalismo veio acompanhado do Neopuritanismo.
O que é Neopuritanismo?
É o retorno à uma sociedade em que a repressão é a regra e a liberdade, a exceção; uma sociedade intolerante com o "diferente" e que prega a uniformidade de idéias e de condutas como virtude. Ai de quem fugir dos padrões!
Assim, nos EUA, a intolerância com os fumantes levou-os à segregação social. O Brasil caminhou na mesma esteira, assim como a maior parte do mundo. Hoje, as pessoas não se contentam com espaços separados em locais fechados: há ditadores querendo proibir o fumo em locais... abertos! Na própria varanda ou sacada do fumante, se isso "incomodar" o vizinho. Isso é típico de uma sociedade intolerante, de pessoas mimadas e que vivem com medos exacerbados.
Hoje, apesar de as mulheres terem conquistado a igualdade nas leis, ainda convivem com muita repressão, proibições e violência, só por serem mulheres. A mulher tem que obedecer aos seguintes comandos: ser dócil, meiga, bonita, bunduda, peituda, magra, cheirosa, falar baixo; tem que ser ou querer ser mãe; tem que colocar os filhos acima de si mesma; tem que amamentar; tem que dar colo sempre que o filho chorar; tem que colocar o filho acima da carreira e da sua relação com o marido; tem que esperar ser escolhida, e não escolher, no campo da conquista afetiva; tem que ser feminina, não pode ser feminista que é feio; tem que tudo e não pode nada.
Os jovens são cada vez mais patrulhados. Os pais os monitoram pelo celular e não incentivam sua autonomia. Sob o pretexto do medo, não mais encorajam seus filhos de 10, 11 anos a irem e voltarem sozinhos da escola ou de qualquer lugar. Os políticos se preocupam se os jovens abaixo de 18 anos fumam ou bebem, na maior demagogia, quando deveriam se preocupar com o que realmente lhes faz mal: falta de escola pública decente (graças aos governos tucanos). A mídia irresponsável os empurra para o sexo cada vez mais cedo, sem que as famílias ou o poder público estejam preparados para isso. E tomem repressão! Quem são as maiores sacrificadas? As meninas! Ainda há pais que impõem o duplo padrão moral: o que o menino pode, a menina não pode.
É absurdo um menor de 18 anos não poder entrar num motel! Sexo não é crime, contravenção nem ilícito, quando se é menor de idade! Mais do que um direito, é um fato da vida! Assim, onde é que o jovem vai transar? No automóvel, no mato, no beco escuro.
O cidadão é tratado como se fosse bandido por definição. Em todos os lugares que vamos, somos obrigados a apresentar nossos documentos para um qualquer, que adquire, com isso, poderes de policial: pode vetar a nossa entrada num prédio privado, se estivermos sem documentos! Isso porque, segundo a lei brasileira, NINGUÉM ESTÁ OBRIGADO A ANDAR COM DOCUMENTOS! E somos fotografados e filmados!
A ideologia do bom-mocismo estragou as relações interpessoais. Acabou com a tolerância e com uma qualidade inerente à vida: o risco. E o bom-mocismo é uma ditadura que constrange homens e mulheres: é a ditadura da fidelidade, do voluntariado, da ecologia, do altruísmo, da "maturidade", da "seriedade", do "equilíbrio". O "Don Juan" não é mais um homem com o qual apenas temos que tomar um certo cuidado; ele é condenado por homens e mulheres. As pessoas têm que querer casar ou juntar e, se fizerem isso, serem "fiéis", custe o que custar. Mas e se surgir uma nova paixão, um novo amor?
Ah, o neopuritanismo condena a paixão e o amor! Acha-os imaturos e, lógico, inconvenientes. Tem psicólogos defendendo escolhas "frias", dizendo que o amor não é importante, mas sim a amizade e o companheirismo!
Prefiro dar total razão à minha mãe, que diz: "Se com amor já é difícil, imagine sem amor!"
Vão tomar banho esses porcos anti-românticos e repressores! Eles querem é convencer pessoas saudáveis de que elas têm problemas, patologias que têm que ser curadas! E ganhar dinheiro com isso!
Ai da pessoa que ousa amar um homem ou mulher comprometido! Certa vez, uma conhecida, apaixonada por um homem que morava junto com sua namorada (aliás uma vagaba que dependia economicamente dele), contou-me que foi criticada por uma amiga sua, nos seguintes termos: "ai, coitada da menina! Como é que você pode gostar de um cara que tem namorada? Você não pensa nela? E se você estivesse no lugar dela?"
Bem, essa conhecida nunca mais procurou a tal amiga, e fez muito bem. Ela não precisa de discurso repressor, de bom-mocismo hipócrita, calhorda e alienado: precisa de poesia. De arte. De RESPEITO. DE LIBERDADE.
Logo, vão querer enquadrar o álcool e o cigarro na Lei Antitóxicos; vão querer obrigar as pessoas a realizarem trabalho voluntário; vão proibir a manifestação de certas idéias; vão promover o retorno da censura; vão infernizar a vida dos gordos (não se atrevam! EU AMO os gordos!).
Está mais do que na hora de retomarmos a luta pela nossa liberdade.
Abaixo a repressão! É proibido proibir.

No comments: