Monday, July 31, 2006

Abaixo o Machismo!

O machismo contra-ataca. Eu já esperava por isso. Facilitamos.
Hoje, a "Folha - Ilustrada" publicou, na página E1, matéria de Sérgio Dávila, intitulada "Homem com H (e como sou!)", sobre o livro "Manliness" ("Masculinidade"?), de um tal de Harvey Mansfield, 74 anos, professor de Sociologia em Harvard. Ele defende que os homens são diferentes das mulheres, superiores a elas e deveriam se orgulhar disso. Ele se opõe ao desenvolvimento da sensibilidade e da vaidade nos homens, diz claramente "sou favorável ao machismo" e que as tradições deveriam ser respeitadas em casa (de papéis sexuais diferentes). Ele odeia o Feminismo.
Qual é o problema, Simone Andréa? É só mais um livro e, com todo o poder que hoje a mulher conquistou, as idéias desse cara não vão "pegar".
Ah, não? E quem me garante?
E que poder que hoje conquistamos?
A luta pela igualdade e liberdade da mulher só foi até a metade do caminho. Agora, precisamos retomá-la, irmos até o fim e NA VELOCIDADE DA LUZ! De lanças em punho. Eu prefiro ir com uma bazuca num cangote e uma metralha na outra mão.
O Feminismo tem que entender uma coisa: as mulheres têm direito absoluto ao desfrute da CONDIÇÃO HUMANA, têm direito absoluto de romper com a condição feminina em que vivem (subalterna e humilhante) e as diferenças anatômicas entre os sexos DE MODO ALGUM IMPLICAM EM DIFERENÇAS DE SONHOS, PLANOS, AMBIÇÕES E LIBERDADE!
As idéias do Harvey Mansfield são PERIGOSAS porque a nossa mídia dirigida por pessoas sexistas, comprometida apenas com o deus Mamon e mais nada, faz apologia do machismo impunemente, zombando da arte das mulheres, da sua política, do seu pensamento filosófico e científico. Vejam bem: não estou falando da matéria do Dávila. Ele nada mais fez do que informar um fato, a publicação, nos EUA, desse livro. E fê-lo com texto imparcial. Porém, assistam às novelas da Globo, com sua pregação de bom-mocismo para mulheres; leiam esses críticos de literatura e de cinema (quase sempre machos feios, sujos, sem talento e frustrados) depreciando arte produzida por mulheres. E a publicidade, então? Mais sexista e vulgar, impossível.
O Feminismo vem sofrendo ataques. Primeiro, foi a inglesa Alyson Wolf, cujas idéias já foram comentadas aqui.
O problema de muitas feministas é se deixar impressionar pela agressividade dos ataques que são feitos à nossa causa. Exemplo: "Vocês querem igualdade? Mas e as crianças?" As crianças são sempre o pretexto para atacar nossos direitos. Como se a mulher fosse a responsável suprema e natural, por "dever" divino, pelas crianças! Vão pastar todos os que pensam que somos!
Temos que declarar guerra TOTAL ao machismo e não fazermos nenhum acordo, nenhuma concessão aos nossos inimigos e inimigas (mulheres machistas e traidoras). Em primeiro lugar, temos que fazer uma reforma íntima, convencendo-nos de que somos seres humanos, tanto quanto os homens (parece que não é tão óbvio assim, afinal, os machistas acham que somos inferiores) e que NÃO ACEITAMOS nenhuma espécie de restrição à nossa liberdade ou de imposição baseadas no sexo. Temos que deixar de nos ACOVARDARMOS diante de vagabundos(as) que nos acusam de "descabeladas", "feias", "mal-amadas", "mulheres-machos", "inveja do pênis" e outras patifarias afins. Toda vez que um homem falar duro conosco, vamos partir para a retorsão imediata. Eles falam palavrão? Falemos piores. Guerra total.
Além disso, temos que ter CORAGEM de encarar uma VERDADE: O MACHISMO É TÃO NOJENTO, VULGAR, BURRO, HEDIONDO E BAIXO QUANTO O RACISMO. E TÃO INCONSTITUCIONAL QUANTO. Afinal, o art. 3., inc. IV, da Constituição, manda o Estado promober o bem de todos, sem discriminação de sexo; o art. 5., inc. XLI, da mesma Constituição, manda a lei punir as discriminações inconstitucionais. Discriminação por motivo de raça, etnia, procedência nacional, religião e idade são crimes; SÓ DISCRIMINAÇÃO POR MOTIVO DE SEXO NÃO É CRIME!!! É uma reles contravenção penal, capitulada numa lei que pouca gente conhece! Só os bons delegados de polícia! Defendo essa tese na Revista da Procuradoria Geral do Estado de São Paulo n. 51/52, em artigo de minha autoria.
Vamos, portanto, EXIGIR dos Deputados Federais em que votarmos que apresentem PROJETO DE LEI a fim de corrigir essa lacuna legal absurda!
Quanto mais machista, mais o homem (ou a mulher) se aproxima do macaco. Que o digam os primatologistas.

No comments: